Dr. José Hudson Lamego da Silva CRM 20.904 | RQE 12.243

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidente e Doenças relacionadas ao Trabalho

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidente e Doenças relacionadas ao Trabalho

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidente e Doenças relacionadas ao Trabalho

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidente e Doenças relacionadas ao Trabalho

No Brasil, acontece um acidente de trabalho a cada 15 segundos, com uma vítima fatal a cada três horas. De janeiro de 2018 a 29 de março de 2019 foram registrados mais de 802 mil acidentes de trabalho, resultando em 2.295 mortes, segundo dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Ontem, 28 de Abril, foi celebrado o Dia Mundial em Memórias das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. Data criada para homenagear as vítimas da explosão na mina de Farmington (EUA), em 1969, em que morreram 78 pessoas.

Apesar de as doenças relacionadas ao trabalho corresponderem a menos de 7% dos agravos notificados, a OIT estima que, para cada acidente de trabalho, ocorram outras seis doenças relacionadas ao labor, o que demonstra a dificuldade do sistema de saúde em reconhecer a relação das doenças com o trabalho. Exemplos são as doenças osteomusculares (LER/DORT), os transtornos mentais, as pneumopatias, as perdas auditivas, o câncer relacionado ao trabalho, entre outras.

O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) e o Sistema de Informação em Saúde do Trabalhador (SIST) registraram que as atividades econômicas com maior incidência de acidentes e agravos em saúde foram indústria e transformação (15.942 casos), saúde humana e serviços sociais (6.636), agricultura, pecuária, silvicultura e exploração florestal (5.651), seguido de atividades do comércio ligadas à reparação de veículos automotores e motocicletas (4.998).

Óbitos

Os setores com maiores incidências de vítimas fatais foram, o rural, o da construção civil e o de transportes. As principais causas de mortes no trabalho foram: condução de veículos de transporte de carga, execução de serviços em telhado, corte de árvores, trabalhos em andaime e trabalhos em postes.

Entre as causas de acidentes e adoecimentos dos trabalhadores está a sobrecarga de trabalho. Também são considerados fatores incidentes os baixos salários, ritmos de produção intensivos, longas jornadas de trabalho, número reduzido de pessoal para cumprimento de metas e cobranças para seu alcance.

Estudos em saúde do trabalhador indicam que os profissionais adoecem mais por questões associadas ao trabalho do que por fatores individuais.

Sendo assim, a melhor forma de prevenir é observar o processo e as condições de trabalho a que o cidadão está submetido e reconhecer quando um ambiente de trabalho é adoecedor. Todo acidente de trabalho é significativo.

OUTRAS NOTÍCIAS